por paulo eneas
A promoção do marxismo cultural em sua forma mais perversa, que é aquela que tem por alvo o público infantil, continua sendo levada adiante em todos os cantos do país. A alavancagem dessa agenda comunista é feita ou por meio de apoio privado, como no caso recente do Banco Santander, ou por meio diretamente do Estado, principalmente pelas administrações tucanas. Dessa vez o alvo são as crianças e adolescentes da cidade de Jundiaí, interior de São Paulo.

A prefeitura da cidade, chefiada pelo tucano Luiz Fernando Machado, inicia nessa segunda-feira uma semana de programação cultural LGBT em todos os parques da cidade. A programação inclui a apresentação da peça A Princesa e A Costureira. A peça é descrita como um conta de fadas que trata da temática homossexual para adolescentes. Ou seja, não se trata de um conto de fadas, mas sim do uso distorcido da tradição dos contos de fadas para promover engenharia social e induzir comportamento sexual em crianças, valendo-se da inocência delas. Trata-se do tipo de atitude abjeta e desprezível que somente é praticada por comunistas e muçulmanos.

O prefeito tucano da cidade, Luiz Fernando Machado, foi eleito no anos passado assumindo compromisso com algumas pautas conservadoras. Mas assim como seu companheiro de partido da capital paulista, João Doria, esse compromisso encerrou-se no dia da eleição. Assim também como o prefeito paulistano, o alcaide de Jundiaí vem demonstrando na sua gestão a adesão plena a agenda globalista da esquerda internacional, especialmente nas questões que envolvem pautas do marxismo cultural. A Semana LGBT da cidade é um exemplo dessa adesão.

Um grupo de moradores da cidade tomou a iniciativa de exigir a retirada da referida peça da programação dos eventos. Para isso, organizaram um petição no site Citizen Go, que pode ser assinada nesse link aqui.

Com a colaboração de Thiago Cortês. #CriticaNacional #TrueNews

COMPARTILHAR

8 COMENTÁRIOS

  1. Prof. Paulo, já viu a lei 16701/17, publicada hoje no Diário Oficial da Cidade e sancionada pelo Dória? “Fica alterada a denominação da Praça General Milton Tavares de Souza para Praça Paulo Sella Neto (Tin Tin), localizada no Distrito de Vila Maria, Prefeitura Regional de Vila Maria/Vila Guilherme, e dá outras providências”. Taí o “revisionismo histórico” ou, no popular, apagar a história real e reescrevê-la conforme interesses (marxismo cultural).

    • Deu no canal Terça Livre que o Dória vai homenagiar o Carlos Mariguella e outros comunistas colocando o nome deles em repartições Publicas de São Paulo e aquele safado ainda se diz de direita, por conveniência.

  2. Segundo estudos em cada 100.000 mil homens que nascem 01 é homossexual e em cada 400.000 mulheres 01 é homossexual, seguindo esse pensamento o resto é modinha global. Lamentável termos que ver autoridades políticas se prestando a um papel tão erróneo quando se trata de diferenciarmos o certo do errado, se enxergarmos o homossexualismo como uma visão natural da vida em tantos casos como estamos vendo, podemos dizer adeus a humanidade nas próximas décadas afinal os heteros serão a minoria e com certeza um casal homossexual na prática não é capaz de gerar filhos daí vem a questão: se é tão natural pq Deus criou o homem e a mulher e só deu a bênção apenas a um casal de sexo oposto de ter filhos?

COMENTÁRIO: