por paulo eneas
O tucano socialdemocrata João Doria tem sido um bom prefeito para a capital paulista? A percepção de uma boa parte dos paulistanos é que sim. Uma percepção em grande parte facilitada pela base de comparação, que é bastante favorável ao velho político tucano: ele sucedeu ao petista Fernando Haddad, de quem afirma ser amigo, que foi o pior prefeito que a cidade já teve.

Se houvesse segundo turno na eleição municipal do ano passado entre ele e algum outro candidato também da esquerda, seguramente recomendaríamos o voto ao tucano. Seria apenas a repetição de um script que já ocorre há décadas no país: a população como um todo, e a direita em particular, vota no candidato que considera menos ruim, e não naquele que considera melhor.

Nesse quesito, o PSDB se especializou em ser o melhor partido dos candidatos menos ruins: Fernando Henrique Cardoso, José Serra, Geraldo Alckmin, João Doria. Isso posto, é possível que nas próximas eleições presidenciais ocorra um cenário em que a população, bem como a direita, precise novamente escolher um candidato menos ruim. Se for esse caso, de nossa parte não teremos dificuldade alguma em recomendar o voto a um candidato desse perfil.

Mas enquanto esse cenário não está posto pela realidade, entendemos que não faz sentido algum antecipá-lo numa admissão prévia de derrota. Entendemos que o momento não é de justificar o porquê de escolher antecipadamente um candidato menos ruim para presidente, mas sim de somar esforços em torno do nome daquele que é, ao nosso ver, o melhor candidato para presidente que o país tem hoje e que já teve nas últimas décadas: Jair Messias Bolsonaro.

Publicado originalmente em 02/05/2017. #CriticaNacional #TrueNews


COMPARTILHAR

COMENTÁRIO: